Moradores de Campinas também querem o mosquito

Vista panorâmica da cidade de Campinas (Foto: Wikimedia Commons)
Cerca de 85% dos leitores do jornal Correio Popular, o mais importante do município de Campinas, gostaria dos mosquitos geneticamente modificados na cidade

A pergunta não deixa margem para duas interpretações: “Você acha que Campinas deveria copiar Piracicaba e investir no Aedes transgênico?”. A resposta também só podia ser interpretada de uma maneira: 85,47% das pessoas acham que sim, Campinas deve investir na tecnologia do Aedes aegypti geneticamente modificado, o Aedes do Bem!.

Publicada no dia 8 de setembro de 2016, a enquete foi feita no site do Correio Popular, um dos jornais mais importantes de Campinas e região. Em 2014, a cidade teve 42.726 casos confirmados de dengue, com 10 mortes relacionadas à doença.

Em 2015, quando a dengue se expandiu em todo o país, não foi diferente em Campinas, que registrou 65.334 casos confirmados de dengue.

Não é difícil imaginar, então, a motivação do Correio Popular para realizar uma enquete em Campinas. Além de a cidade ter um problema acentuado com dengue, ela fica a 72 km de Piracicaba, município que desde abril de 2015 emprega o Aedes do Bem!. O jornal acompanha o assunto na cidade vizinha.

gif-para-o-aedes-do-bem

E o mosquito geneticamente modificado, conhecido popularmente como Aedes do Bem!, que tem sido usado para tratar alguns bairros de Piracicaba é produzido em Campinas. A Oxitec do Brasil, empresa que produz o Aedes do Bem!, tem sua sede no Techno Park, às margens da rodovia Anhanguera.

Conexão piracicabana

Desde que o Aedes do Bem! começou a ser empregado no bairro do CECAP/Eldorado, em Piracicaba, a população de larvas selvagens diminuiu 82%. A quantidade de casos de dengue ao longo do ano caiu de 133 (ano-dengue 2014-2015) para 12 (ano-dengue 2015-2016) no local – uma redução de 91%. Nenhum caso de Zika ou chikungunya foi registrado no bairro ao longo desse período, segundo a Vigilância Epidemiológica do município.

Em julho de 2016, o bairro São Judas também começou a receber o Aedes do Bem!, e em agosto outros dez bairros começaram a contar com liberações do mosquito geneticamente modificado que combate o Aedes aegypti selvagem.

Piracicaba, além disso, vai abrigar a próxima unidade de produção da Oxitec, que deve começar a operar até o final do ano.